Terça-feira, 27 de Setembro de 2011
Um erro que Passos Coelho poderá pagar caro
Depois de condenar os portugueses a um processo de austeridade reforçado pelo fundamentalismo do seu ministro das Finanças Passos Coelho só tem a saída da coerência, provar aos portugueses que ele e os seus dão o exemplo e que exige de um governo regional do seu partido o mesmo que exigiu do governo da República quando era oposição. No caso da Madeira o dilema de Passos Coelho é óbvio, ou perde o Alberto João ou perde os portugueses, há ainda uma terceira alternativa arriscada, proteger o Alberto João e enganar os portugueses.
Para já é evidente que Passos Coelho tomou posições que nem sequer incomodaram Alberto João Jardim até ficamos com a impressão de que tudo estava combinado entre os dois, uma coisa do género eu digo isto e tu dizes aquilo. O facto de não participar na campanha eleitoral não belisca o Alberto João que nunca precisou de apoios dom continente para ganhar eleições. O que os apoiantes de Alberto João esperam do Continente é o dinheiro e já ouviram o Álvaro dizer no Brasil que se encontraria uma solução e o termo usado pelo governo é o da solidariedade nacional, música para os ouvidos do Alberto João. Até Miguel Relvas já deu a entender que relatórios de auditorias e soluções é coisa que levam tempo, isto é, ficam para depois das eleições.
Mas a mentira tem perna curta e no próximo Natal muitos portugueses vão querer saber se as pendas dos seus filhos foram para o país por causa de um desvio colossal que ninguém demonstrou, ou se vão para o Alberto poder manter uma ilha alimentada a pão-de-ló. Até hoje nem Passos Coelho, nem Vítor Gaspar explicaram o famoso desvio colossal, apenas se ficou a saber que 500 milhões já eram da Madeira. Agora sabe-se que o desvio na Madeira corresponde (coincidência das coincidências) ao valor estimado para o famoso desvio colossal.
Isto é, quando a austeridade chegar a sério muitos portugueses vão ter razões para pensar que foram enganados, que alguém impôs medidas mais duras do que as exigidas pela troika para poder perdoar uma dívida a Alberto João Jardim, colocando os interesses partidários acima dos nacionais. Muitos portugueses poderão legitimamente pensar que quem foi exigente com o anterior governo exigindo transparência nas contas encobre agora os números da Madeira, adia a sua divulgação para depois das eleições e compensa o buraco financeiro da Madeira com falsos desvios nas contas nacionais.
Se assim for Passos Coelho consegue conquistar a simpatia de um Alberto João que sempre se comportou como pobre e mal agradecido, mas perderá os portugueses.

 
IN:http://jumento.blogspot.com/

sinto-me:

publicado por patriotaxxi às 22:05
link do post | comentar | favorito

posts recentes

Câmara Municipal de Castr...

CAVAQUISTÂO DE VISEU

Nós pagamos...

Castro Daire, notícia pel...

Castro Daire Vai Ficar Se...

Castro Daire Vai Ficar Se...

Castro Daire Vai Ficar Se...

Castro Daire Vai Ficar Se...

Castro Daire Vai Ficar Se...

Castro Daire Vai ficar Se...

Vamos Ajudar o Presidente...

EDP, o verdadeiro escânda...

Portagens

Trabalhar sem ordenado

Peculato em Castro Daire

O "Povo" a que paga!!!

Um erro que Passos Coelho...

Coincidência

2 de Julho

Museu Dias Loureiro

Carta aos senhores da tr...

Semanada

Portugal a dois tempos...

Quem nos acode!!!

Funcionários Publicos

Julho 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


links
pesquisar
 
mais sobre mim
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds